sábado, 28 de janeiro de 2012

Pêras do Sítio

Passei 3 dias seguidos fazendo manutenção no sítio.
Segunda, terça e quinta, acordei e fui trabalhar na roça.
Pra variar, esqueci de tirar a foto
do antes da roçada e depois da ratelada.
Fazia mais de 3 meses que eu não aparecia por lá.
Ainda bem que as pereiras ainda tinham frutas!

Foto de Bruh Floripa
Delícia comer pêras frescas!
Você já comeu alguma fruta colhida na hora?
Eu acredito ter outro sabor.
Olha quantas pêras a chuva derrubou!
Ahhh... uma vaquinha para comê-las...
Eu fico com pena em ter que fazer um buraco
e enterrar tudo, muita pêra pra deixar apodrecer na sombra.
E a grama precisa ser podada como dá pra perceber...

Foto do início do caminho das pêras

Foto do final do caminho das pêras, perceba pela posição do sol na foto anterior
É muita pêra...
E eu não sei qual espécie é, eu acho que é Bosc.


Um pouquinho sobre pêras:

Nome popular: Pêra.
Nome cientifico: Pyrus communis.
Luminosidade: Pleno sol.
Porte: Até 15 metros de altura.
Frutos: De Janeiro a Setembro.

Propriedades das PÊRAS: 

Pêra (Pyrus communis) é uma fruta parente da maçã.
A pêra é um fruto muito nutritivo de sabor adocicado.
É uma fruta típica de regiões de clima temperado.
A árvore que produz este fruto chama-se pereira.
Uma característica distinta das pêras, além do formato,
e a textura macia, a qual é o resultado 
de conversão do amido em açúcar.
Quando prontas para comer as pêras
têm um sabor doce e perfume que encanta os sentidos.
Há mais de 3.000 variedades conhecidas de pêras
o que extende as épocas de colheita e
as disponibiliza em várias cores e tamanhos. 
Muito apreciada por sua textura macia, perfume inconfundível,
sabor adocicado e suculência, a pêra (Pyrus communis)
é um alimento nutritivo e versátil, que além de ser
consumido in natura, se presta a diversos usos culinários.
Na culinária, é utilizada para a fabricação de geléias,
compotas, sorvetes e outros doces.

É, provavelmente, originária da Ásia Ocidental, mas, já na Antiguidade,
foi cultivada em Roma, dali se dispersando por toda a Europa e pelo Novo Mundo, onde chegou pelas mãos dos primeiros colonizadores.
É uma das frutas mais importantes das regiões de clima temperado do mundo, só superada pela maçã em expressão econômica nessas regiões.
A pêra moderna cresce em todas as partes do mundo.
Pêra é uma fruta indicada para benefícios de curar diversas doenças. 
Devido as propriedades da pêra, ela tem alto poder de cura. 
A pêra, rica em potássio, é levemente diurética, laxante e abaixa a pressão. Indicada para os males da circulação sanguinea,
inflamações do intestino e da bexiga, eliminação de inchaços edematosos, característicos dos doentes do aparelho circulatório e dos rins. 
Pela falta de sal, proteínas e gorduras
a torna eficaz nos tratamentos de obesidade. 
A pêra atua na boa formação dos ossos, dentes, sangue e sistema nervoso.
Possui uma casca que pode ser, de acordo com a espécie,
de cor amarela, verde ou vermelha.
A polpa também varia de acordo com a variedade,
podendo ser macia, dura ou granulosa.
As variedades mais conhecidas no Brasil são:
Pêra Willians, pêra-d'água, pêra Bosc, 
pêra de pé curto e pêra red (casca vermelha).
Durante o mês de janeiro é encontrada a preços mais em conta.
Mas existe pêra importada de fevereiro a setembro.

Pêra é uma escolha saudável

A pêra não tem colesterol, sódio ou gordura saturada.
Ela oferece uma fonte rápida e natural de energia, devido às grandes quantidade de frutose e glicose. Além disso pêra tem mais levulose,
o mais doce açúcar natural, do que qualquer outra fruta.
A pêra é um alimento que têm uma grande quantidade de nutrientes.
É rica em sais minerais como, por exemplo,
sódio, potássio, ferro, magnésio e cálcio.

Pêra e fibras

Uma pêra pesando 166 gramas provê 2,3 gramas brutas de fibras
e 4 gramas de fibras alimentares. As fibras não contêm calorias,
e são um elemento necessário para uma dieta saudável pois
ajudam a sustentar os níveis de açúcar no sangue.
Uma dieta rica em fibras também ajuda a diminuir
o risco de câncer de cólon e reduzir o colesterol.

Pêra e potássio

Uma pêra de tamanho médio oferece 210 mg de potássio.
Embora o potássio seja facilmente perdido através de transpiração
por estilo de vida ativa e exercícios físicos, ele é necessário para manter os batimentos cardíacos, contração muscular, transmissão nervosa e metabolismo de carboidratos e proteínas.
Pêras são uma excelente fonte para reabastecimento de potássio.

Pêra e Vitamina C

Uma pêra de tamanho médio oferece 7 mg de vitamina C,
ou 10% das necessidades diárias.
Como uma vitamina antioxidante, a vitamina C é essencial
para o metabolismo normal e reparação de tecidos,
ajudando a prevenir os danos dos radicais livres
(sub-produtos destrutivos do metabolismo). 
A vitamina C melhora o sistema imunológico e
promove a cicatrização de cortes e machucados,
além de proteger contra várias doenças infecciosas.

Características da planta

Sua árvore é a pereira, da família das rosáceas,
a mesma da maçã, do pêssego e da ameixa.
Tem porte alto e tronco grosso.
Produz madeira de boa qualidade, de cor castanho avermelhada,
de grande dureza, embora facilmente trabalhável,
muitas vezes empregada na confecção de móveis e esculturas.
Suas folhas são longamente pecioladas
(com cabos que as prendem ao ramo ou tronco).
As flores são brancas, relativamente pequenas,
pediceladas (com hastes que sustentam as flores ou 
cada flor de uma inflorescência, e posteriormente o fruto),
reunidas em cachos e muito perfumadas.

Caule com Folhas e Flores da Pereira - Foto de Bruh Floripa
O fruto da pereira, a pêra, assim como a maçã,
é, na verdade, um pseudofruto, formado pelo ovário
 envolvido pelo receptáculo floral, carnoso e muito desenvolvido,
 e que é a porção comestível de frutos.

São bagas grandes e suculentas, que existem em milhares de variedades
e se diferenciam pela forma, tamanho, cor, consistência, sabor, aroma e casca. Os formatos vão das que lembram um violão às redondas.
Os tamanhos podem variar de 6 a 15 cm de comprimento;
a cor pode ir do verde ao amarelo, passando pelo castanho e o vermelho. Quanto à consistência, os tipos de pêra variam entre
a dura e granulosa e a macia e cremosa, que “derrete na boca”,
característica que concedeu à pêra o apelido de “fruta manteiga”.
As sementes da pêra contém proteínas, gordura, lecitina,
açúcares, fibras e cinzas, delas pode-se extrair um óleo claro,
similar ao da maçã, que pode ser usado na culinária.
Os ácidos graxos deste óleo são 90% insaturados.

Cultivo

A pereira se propaga por enxertia e é cultivada em 
milhares de variedades, a maioria descendente da 
espécie Pyrus communis, como a Anjou, Bosc, Comice e Nelis.
Tal qual outras espécies da família das rosáceas, 
a pêra depende de bastante frio no inverno para produzir a contento.
No Brasil o cultivo da pêra é feito com sucesso na região Sul e,
em escala modesta, em áreas acima de 600m de altitude
no Espírito Santo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.
A chamada pêra d'água destaca-se entre as variedades
que se aclimatam bem às serras do Sudeste brasileiro.
A pereira começa a frutificar com três ou quatro anos
e continua a produzir até cerca de trinta anos.
O florescimento, no Brasil, ocorre em agosto e setembro,
ao passo que a maturação das frutas se conclui em fevereiro e março. 
Plantada em espaçamentos de sete por sete metros ou,
no caso de variedades de porte ereto, de quatro por quatro metros,
a pereira é conduzida por uma poda inicial de formação
que lhe dá forma de taça, e por sucessivas podas anuais,
que visam a provocar novas bifurcações dos galhos.
Os dois tipos de poda se fazem durante o repouso vegetativo de inverno, quando a árvore está completamente sem folhas.
A produção de uma única pereira é em média de 45 kg de frutos por ano.
Em alguns casos pode chegar a 140 kg/ano.

Variedades

Embora existam milhares de variedades de peras,
apenas uma dezena delas são encontradas regularmente no mercado.

No Brasil, as variedades mais conhecidas são:

Willians (dura e mais ácida),
Pêra-d'água (de polpa mais delicada), 
Pêra de pé curto (arredondada e semelhante à maçã),
D’Anjou (menor e verdinha) e
Pêra red (casca vermelha).

Produção Mundial

Mesmo não sendo um grande produtor da fruta,
a pêra é um alimento tradicional no cardápio dos brasileiros,
ocupando o primeiro lugar da lista de frutas importadas.
O Brasil produz 18.000 toneladas/ano (2006)
e o consumo chega a 150.000 toneladas/ano.
Quase a totalidade da pêra consumida no País vem de fora,
especialmente da Argentina.

De acordo com os dados da FAO, a produção mundial de peras
é estimada em 18,7 milhões de toneladas, distribuídas por uma
superfície de 1,7 milhões de hectares (2004). 
A China é o maior produtor do mundo,
com um volume anual de 11 milhões de toneladas,
o que representa 58% da produção mundial.
A UE e os 25 Estados Membros tem um peso de
17% na produção mundial, destacando-se 
a Itália e a Espanha como os maiores produtores,
com pesos de 5 e 3%, respectivamente.
Os Estados Unidos e a Argentina ocupam a
3ª e 4ª posições no ranking mundial,
com produções anuais próximas das 
800 mil e 500 mil toneladas, respectivamente.

Propriedades Nutricionais

A primeira menção à pêra, como ingrediente medicinal,
encontra-se numa tábua de cerâmica localizada em Sumer,
na Mesopotâmia antiga, datada de 2750 a. C., aproximadamente.
Homero referiu-se à pêra como “presente dos deuses”,
uma das frutas descobertas no pomar de Alcínio, rei dos feácios,
o que indica ter sido conhecida dos gregos antigos.
Durante séculos, as peras foram mencionadas nas histórias
das monarquias da Pérsia, da China e de Roma.
Com a expansão da civilização, cultivaram-se 
milhares de variedades por toda a Europa.

Com um sabor delicioso, a pêra é uma das frutas mais ricas em
sais minerais incluindo Sódio, Potássio, Cálcio, Fósforo, Enxofre,
Magnésio, Silício e Ferro, que mantém o equilíbrio interno
e o vigor do sistema nervoso, além de contribuir na
formação dos ossos, dentes e sangue,
sendo, portanto, essenciais ao crescimento.
Contém, ainda, quantidades razoáveis de vitaminas A, C e B1, B2 e
Niacina (B3), todas do Complexo B,
que regulam o sistema nervoso e o aparelho digestivo,
fortificando o músculo cardíaco.
Como possui muitas fibras, a pêra é boa, também,
contra a prisão de ventre, inflamação do intestino e bexiga.

Para as pessoas de aparelho digestivo delicado, recomenda-se
as peras macias, descascadas ou, de preferência cozidas.

É vulgarmente utilizada como coadjuvante do tratamento da
hipertensão arterial, sendo considerada, também, um ótimo diurético.
Seu consumo, ainda, pode auxiliar na prevenção
da queda dos cabelos e no tratamento de problemas de pele.
O seu suco, inclusive, pode ser usado como ingrediente em
máscaras para revitalizar pele seca e envelhecida.
Por seu baixo valor calórico (56kl em 100gr) é uma fruta
muito utilizada em regimes de emagrecimento.
O valor nutritivo da pêra depende do seu grau de maturação.
Quando passada, perde cerca de 3/4 do valor de seus nutrientes.
Verde, faz mal para o estômago porque se torna indigesta.
No entanto, quando está no ponto, ela é uma fruta excelente.

Como Comprar

A pêra de boa qualidade tem casca firme, sem ser dura
(a casca dura indica que a fruta foi colhida antes do tempo
e logo ficará murcha, esfarelada e sem sabor), 
é limpa, sem cortes nem machucados e 
sem manchas nem picadas de insetos.
Para saber se a pêra está madura e pronta para consumo,
faça o “teste do polegar”. 
Pressione gentilmente o polegar na base do cabo da fruta.
Se estiver madura, ela cederá.
Lembre-se que algumas variedades de peras
não mudam de cor quando amadurecem.
Para o consumo imediato, compre peras tenras,
sem marcas de apodrecimento.
Durante o mês de janeiro é encontrada a preços mais em conta.
Mas existe pêra importada de fevereiro a setembro.

Como Conservar

Para preservar melhor suas características naturais,
a pêra deve ser guardada em lugar fresco, seco e arejado,
evitando-se a geladeira que faz com que
ela perca parte do seu aroma e sabor.
Quando passam do ponto, as peras se tornam escuras e moles no centro.
 Como o processo de maturação acontece de dentro parafora,
 o ideal é que as frutas sejam consumidas assim
 que elas cederem à leve pressão do polegar.

Entretanto, caso seja necessário conservá-las por mais tempo,
evitando que passem do ponto, a saída é a geladeira,
 não esquecendo que, mesmo desacelerado,
 o amadurecimento continua.
Para amadurecer as peras, basta colocá-las dentro
 de um saco de papel ou mesmo numa fruteira e deixá-las em
 temperatura ambiente, até que estejam maduras.

USOS CULINÁRIOS

Além de serem consumidas in natura, as peras podem
 ser cozidas e utilizadas em receitas de bolos, tortas,
 compotas, cremes, geléias, sorvetes e pães.
 Em pratos salgados, a pêra harmoniza-se muito bem com carnes,
 sobretudo as defumadas, além de ser um acompanhamento perfeito
 para queijos picantes e/ou de sabor forte, como o provolone,
 o gruyère e o emmental, servidos com um bom vinho gelado. 

Considere que tudo o que pode ser feito com
a maçã é válido, também, para a pêra.

Para evitar que a polpa da pêra escureça,
ficando com uma cor marrom ao ser cortada,
basta respingar a fruta com suco de limão.
O escurecimento ocorre em virtude da
oxidação, um processo natural, que 
acontece quando a superfície fica exposta ao ar.
Os melhores tipos de pêra para cozinhar são a Anjou e a Bosc,
pois ambas mantêm seu sabor e forma quando cozidas.
Vale lembrar que as frutas devem estar duras para serem cozidas.

Não é recomendado congelar as peras, pois devido ao seu
 abundante suco, uma de suas grandes qualidades,
ao ser descongelada, o suco se separará da fibra.

POIRE, a aguardente de peras

Bebida típica francesa, embora muito consumida na Suíça,
também, a Poire é um destilado extremamente aromático
que conquistou adeptos pelo mundo todo.

Selecionar, lavar e comer as pêras

Ao selecionar as pêras evite as com cortes
ou machucados e cores marrom escuras.
Selecione a pera que seja levemente verde,
porque elas amadurecem mais rápido depois de colhidas.
Procure por pêras com casca não desbotada.
Não há necessidade de descascar a pêra
e sua casca é uma fonte adicional de fibras.
Sempre lave todas a frutas e vegetais frescos antes de comer.

Outros Idiomas:

Francês - Poire
Italiano - Pera
Espanhol - Pera
Inglês - Pear
Alemão - Birne
Fonte: Enciclopédia Britânica

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

O que se deve fazer em JANEIRO




NOS CAMPOS

Lavrar as terras fortes e argilosas destinadas às sementeiras
da Primavera e ao mesmo tempo deitar na terra estrumes curtidos. 

NAS HORTAS

Preparar canteiros e talhões de modo que a terra fique limpa
e bem mobilizada e destorroada, incorporando-lhe estrume.
Fazer também, na mesma altura, a fertilização química
com adubos fosfatados, potássicos ou compostos.
As terras de horta, passados alguns anos de cultura intensiva,
se tornam ácidas, é indispensável, por vezes, aplicar-lhes cal.

Planta-se:
Acerola, algodão, café, coco, feijão, mandioca,
pimenta-do-reino, urucum, coqueiro, abóbora,
batata-doce, cenoura, cebolinha, espinafre,
alface, tomate, chuchu, repolhos, rabanetes,
agrião, aipo, couve, almeirão, nabo, beterraba,
rúcula, chicória, salsa, coentro, favas, ervilhas.
Ainda se plantam alhos.

Colhe-se:
Arroz, manga, banana, mamão, uva,
batata-doce, pêra, repolho branco e roxo,
melão ameixa, chuchu.

NO JARDIM

Continuar a preparar os canteiros,
tanto para as sementeiras da época como as da Primavera.
Continuar com a instalação de viveiros de estacaria
de roseiras e de outros arbustos e árvores de jardim.
Plantar no lugar definitivo árvores e arbustos ornamentais,
abrindo covas com a possível antecedência.

Semear:
Ciclames, Ervilhas-de-cheiro, Gipsófilas, etc.

Plantar:
Jacintos, Begónias, Lírios , Amaryllis, Margarida,
Petúnia, Sálvia, Centáurea, Balsamina,
Dália, Cravo-de-defunto, Escovinha, Linda flor.

Florescem:
Brinco de princesa, Gérbera, Margarida, Sálvia,
Amaryllis, Alamandas, Dama-da-noite.

Fases da Lua:

01 Jan - 06h14 - Quarto Crescente
09 Jan - 07h30 - Lua Cheia (30,9′)
16 Jan - 09h07 - Quarto Minguante
23 Jan - 07h39 - Lua Nova
31 Jan - 04h09 - Quarto Crescente


Se alguém souber de algo mais
 que possa acrescentar aqui, deixe seu recadinho.
Sintam-se todos beijados, =* By Bruh!

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Amaryllis, Açucena, Flor da Imperatriz, Amarilis



Características

A Amaryllis, que é também conhecida por Açucena, Amaríllis ou Flor da Imperatriz, é uma planta de cerca de meio metro de altura muito apreciada para fins ornamentais graças a possuir flores bem grandes e de diversas cores como rosa, laranja, branco, vermelho e multicolorido (plantas que foram cruzadas entre as cores citadas). Sua floração geralmente é anual e ocorre principalmente durante o começo do verão.

Amaryllis Dobrado Blossom Peacock e Amaryllis Sydney 

Como Cuidar

Embora seja uma planta que necessita de muito sol para crescer saudável, quando criada a pleno sol durante sua floração, pode ter as pétalas queimadas pelo sol a pino e assim não ficar tão vistosa, aconselha-se posicioná-la em lugares que receba muito sol o dia todo, porém que esteja coberta do sol do meio dia.

É uma planta que não tolera bem variações climáticas extremas durante o inverno, logo durante invernos rigorosos tenha o cuidado de garantir que ela tome bastante sol, porém pouco vento gelado.

Aconselha-se utilizar solo fértil e de boa drenagem, os fungos criados pelo excesso d’água, mesmo que poucos, causam apodrecimento dos botões das flores, e em situações graves, podem matar a planta.

Utilize terra vegetal adubada misturada a areia grossa ou outras estruturas de boa drenagem (como lascas de madeira) para melhorar a drenagem dos vasos. 

Amaryllis Dobrado Blossom Peacock 

A flor se adapta com facilidade em qualquer região do país, sobretudo em locais muito úmidos e com as temperaturas médias bem elevadas 

As açucenas são uma boa escolha entre as espécies de flores, pois são fáceis de cultivar e se adaptam bem a pequenas áreas. Podem ser plantadas em todo o território brasileiro e em qualquer mês do ano.

Existem cerca de 50 espécies de açucenas, 
também chamadas de Amaryllis, a maior 
parte originária da América do Sul e muitas nativas do Brasil.

Amaryllis Red White 

Os bolbos podem ser adquiridos nas lojas de plantas, floristas e hipermercados e aparecem em caixas ou sacos de uma única unidade, em alguns casos também se podem adquirir já plantados e no inicio do aparecimento das flores e folhas.

Geralmente estes já plantados são os que colocamos dentro de casa num bonito "cachepot" em cima da mesa ou num canto que precise de cor extra. Não precisam de cuidados extra nesta fase podendo apenas ser regados certificando-nos de que não os deixamos com excesso de agua que poderia apodrecer o bolbo. Caso optemos por os plantar, não os devemos enterrar completamente mas só até metade ou deixando a ponta dos mesmos exposta.

Quando finaliza a floração temos um belo ramalhete de folhas longas que não devem ser cortadas pois a planta precisa delas para alimentar o bolbo e assim no ano seguinte nos voltar a surpreender com as suas magnificas flores. Nesta altura caso possível deveríamos colocar o vaso no exterior e deixar que absorva todos os raios de sol possíveis. O sol activa drasticamente a cor das flores.
Em exterior é uma planta gulosa de sol e de agua podendo deixar-se ficar todo o ano na rua e não voltando a mexer, obviamente que as regas de inverno serão unicamente para que a terra não seque por completo mas mesmo que assim seja não será por isso que ela deixará de voltar a florir no ano seguinte.

Tal como todas as plantas possuidoras de bolbo, existe a necessidade de uma fase de repouso que pode ser natural (em exterior) ou forçada (interior)
mas não tem que ser assim também.

Sempre a tive em vasos e na época de floração que dura algum tempo e depois desta colocava-a na estufa e ia reduzindo a rega até deixar secar a terra no vaso, com o torrão colocando depois num armário para retirar depois na época seguinte quando ela própria se prepara para começar e despontar e recomeçar tudo de novo.

As flores podem ser cortadas e colocadas em jarras mas pelo seu tamanho e peso não têm uma boa colocação na mesma, no entanto devemos ter em conta que o pé não deve ser afogado em agua mas apenas na quantidade necessária e ser mudada todos os dias.
O polen que liberta pode sujar o espaço em volta e por isso algumas pessoas têm o habito de com uma tesoura cortar as pontas do mesmo, de notar que esse processo diminui a duração das flores.

Amaryllis Branco 

Esse tipo de flor desperta grande interesse para o cultivo ornamental, mas são seus híbridos e variedades que dominam o mercado mundial de plantas decorativas. Elas podem ter pétalas simples ou dobradas, com coloração diversificada, que vai do vermelho ao salmão,
 passando pelo rosa e pelo branco.

A planta é herbácea, vivendo por muitos anos quando cultivada diretamente no solo. Apresenta um bulbo semelhante a uma cebola, do qual partem as folhas e as hastes florais. As folhas são longas e estreitas e a inflorescência, com a haste lisa e oca, normalmente conta de duas a quatro flores, sempre com pétalas de colorido intenso.

Amaryllis Red White e Amaryllis Branco - Flores da Bruh! =D 

CLIMA – Quente e úmido. A açucena se dá bem em várias regiões do Brasil. Ela pode ser plantada em qualquer época do ano, de acordo com a variedade e exploração da flor. Apesar de sua fácil adaptação, prefere clima tropical e subtropical, mais precisamente quente e úmido.

O desenvolvimento é melhor sob temperatura média de 20 graus durante à noite e por volta de 23 graus ao longo do dia. Se a umidade relativa do ar se mantiver alta, a planta agüenta até 30 graus. 


Amaryllis Susan 

SOLO: leve, arenoso e com boa aeração. 

PLANTIO – O Ano Todo. Preencha metade do vaso com o substrato, coloque o bulbo no centro, com as raízes abaixo da superfície da terra. Em seguida, complete com o restante do substrato e irrigue até que fique bem úmido. Acomode os vasos em canteiros no chão ou em bancadas, em estufas com temperatura entre 22 e 30 graus. 

Garanta boa incidência de sol e ventilação. 

Amaryllis Sydney 
VASOS - para a produção em vasos é necessário adquirir bulbos de fontes idôneas. Eles devem ser maduros, com circunferência igual ou superior a 22 centímetros, e possuir, pelo menos, duas gemas com flores dormentes. Compre vasos com 12 ou 14 centímetros de boca, preencha-os com um substrato leve e com boa aeração. Misture solo argiloso e matéria orgânica, na proporção de 1:1, ou uma mistura de casca de pinus (85%) com vermiculita (15%) - substrato de origem mineral leve, que absorve grande quantidade de água. 

Amaryllis Dobrado Blossom Peacock

FLORESCIMENTO - de 20 a 30 dias após o plantio. O ciclo de produção é rápido. Em geral, o florescimento ocorre de 20 a 30 dias após o plantio.

As açucenas não exigem adubação durante o florescimento;

Precisam de muita água, mas é preciso cuidado com irrigações excessivas. Em caso de necessidade de segurar a produção, armazene os bulbos em ambientes com temperaturas entre cinco e dez graus. Quanto mais tempo armazenado, mais rapidamente nascem as hastes florais dos bulbos. 

Amaryllis Dobrado Blossom Peacock com flores gêmeas grudadinhas - costas 

Amaryllis Dobrado Blossom Peacock com as flores gêmeas grudadinhas - frente. 

DICAS - as variedades destinadas a vasos devem produzir, no mínimo, duas hastes florais. De preferência devem ser comercializadas com a presença de folhas. O material de propagação também pode ser adquirido de empresas paulistas especializadas, por meio de reembolso postal.


Amaryllis Butterfly ou Açucena Borboleta

Açucena-rajada – Cebola-cencém: Sua aplicação nas obrigações é somente do bulbo, é usada a cebola no ritual.

Esta cebola somente é usada nos sacudimentos domiciliares. 
É infalível para descobrir falsidade.
É empregada em sacudimento, em local de trabalho e em casa.
A medicina caseira utiliza as folhas como emoliente.
Faz parte das Ervas de Ogum.

Curiosidade: esta planta tambem é conhecida pelo povo, com o nome de Noras e Sogras, talvez pelo facto de as flores estarem sempre opostas e de costas umas para as outras... 

Gostaria de acrescentar que todas as flores
fotografadas acima fazem parte da minha coleção.
Meus orgulhinhos.. rs
Boa semana pra todos! =D
Bjokas da Bruh! =***

domingo, 15 de janeiro de 2012

Reclamações e seus efeitos

Olha, quanto mais você reclamar de uma determinada situação,
mais ela vai piorar, mais ela vai ficar complicada.




 Você pode ter toda a razão do mundo, pode estar sendo injustiçado, mas isso não lhe dá o direito de reclamar da vida, de azedar seu humor e estragar não só o seu dia, mas principalmente daqueles que convivem com você.


Irritação é a porta aberta para o mau humor, para as brigas, para as doenças nervosas, para a desunião e perdas e mais perdas.

Irritação é sinal de descontrole, de falta de confiança em Deus e na vida.

Quando você se sentir injustiçado, acreditar que pegaram no seu pé por engano, que te roubaram, que te feriram sem merecer, se não puder perdoar, relevar, esquecer, pense em você, só em você, seja egoísta e diga:
Eu não vou piorar o meu estado por causa dessa pessoa, dessa situação.




Repita: Eu não vou piorar o meu estado por causa desse sentimento, desse pensamento, dessa pessoa, dessa situação, repita quantas vezes forem necessárias para que O SEU EU entenda que você é o mais importante, não é a situação.

Quando você começa a se questionar sobre a sua importância no Universo, é um recado do seu eu consciente te chamando para novas mudanças, provavelmente você está emperrado em uma idéia ou conceito que está atrasando a sua vida e, então a vida vem puxar a sua orelha porque você já tem condições de assumir novos desafios, abrir novos horizontes, e às vezes, você continua preso a um passado pobre, de idéias pobres, de coitadinho que você não é mais há muito tempo.

Percebe isso?

Faça uma análise de sua vida, não importa se você viveu quatorze ou setenta anos, há sempre uma nova porta esperando para ser aberta, um novo caminho, um novo motivo para se viver em perfeita harmonia com o seu eu.

Não insista em ficar preso a essas idéias que já te mostraram que não te levam a lugar nenhum, você pode e deve recomeçar e mudar sempre!

Que tal começar agora? 

Autor: Paulo Roberto Gaefke



    "O primeiro passo para conseguirmos o que queremos na vida é decidirmos o que queremos". 

SACIE MINHA CURIOSIDADE, POR FAVOR RESPONDA... COMO VOCÊ CHEGOU ATÉ O BLOG DA BRUH?

Participe do Blog da Bruh! =D

Caso não abra a lista de Amigos da Bruh logo abaixo desse recado, por favor, tecle F5 para atualizar a página. Obrigada.

Que bom ter você aqui! Amigos do Blog da Bruh:

Para evitar aborrecimentos, pessoas de má fé e afins, é necessário fazer login usando uma conta que já tenha sido criada (Google, Orkut, Twitter, Yahoo) para participar do Blog da Bruh. Agradeço desde já sua compreensão. Fico imensamente feliz quando você comenta e diz que esteve por aqui.
Comentem à vontade em qualquer postagem!